A Teoria Total
   José Orlando  Silva  │     6 de maio de 2017   │     11:23  │  2

Stephen Hawking, brilhante físico e cientista, que ficou mais popularmente conhecido pelo filme, A teoria de Tudo, lançado em 2014, apresenta a sua mais revolucionária descoberta, dando-lhe notoriedade mundial. Na verdade essa ação é uma das múltiplas tentativas da ciência de a cada dia mais, entender e explicar a vida. E esta semana faz uma afirmação ousada, de que a humanidade tem que deixar a terra em 100 anos.

A teoria Total que na verdade, é a busca de uma lei regente que  alimenta e norteia as demais leis já estabelecidas e aceitas pela ciência, pode ser declarada como a “lei das leis”. Em que muda o nosso cotidiano essa compreensão? Tudo. Tanto em relação a vida, quanto a nossa origem, e principalmente a quem recorrer quando buscamos por um milagre.

Embora as duas principais teorias da física: a mecânica quântica ( Que busca explicar e trazer um novo olhar sobre o mundo “do muito pequeno” o micro), e a relatividade geral (Que forneceu uma nova visão sobre o “muito grande” o macro), elas não são unificadas, a teoria do Tudo, tem esse propósito, unificá-las, e explicar a origem da vida e sua manutenção a partir de uma lei e explicação única. O físico  Steven Weiberg que ganhou o Nobel da Física em 1979, por unir duas forças fundamentais da natureza (A força eletromagnética e a força nuclear fraca), é levado a chegar a mesma conclusão de Stephen Hawking ao final do seu best seller, sobre o tempo. A conclusão  dessa compreensão  levará  a ideia da existência da lei das leis, aproximando a mente e o raciocínio da mente humana a mente de Deus.

Impressionante que ambos, tanto Stephen Hawking quanto Steven Weiberg não são e nem tem nenhuma propensão religiosa. Isso deve mudar nossa visão da vida, e o mais importante, saberemos a quem recorrer. Pense e Experimente, a busca por Deus se torna uma ação racional.

>Link  

COMENTÁRIOS
2

A área de comentários visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos e que que firam a ética e a moral não serão liberados.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do blogueiro.

  1. ANDRE TENORIO BARROS

    Concordo que a busca é racional, mas de um subjetivismo espantoso, tendo em vista que somos influenciados por tantas coisas! Entretanto, também concordo que existe A verdade absoluta e que nem racionalismo nem subjetivismo poderão mudá-la.

    Reply
    1. José Orlando Silva Post author

      Exato André, não se pode retirar o subjetivismo, que pode ser visto e interpretado também como uma das expressões da autêntica razão. Obrigado pela participação.

      Reply

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *